Google+ Badge

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

PROGRAMAÇÃO CINE MATILHA CULTURAL DE 12 a 16 de Dezembro




Boa Tarde segue a Programação do Cine Matilha até 16 de Dezembro.




12 de Dezembro
20h NO INTENSO AGORA (SESSÃO + DEBATE COM DIRETOR)

13 de Dezembro a 15 de Dezembro
17h30 ALTAS EXPECTATIVAS
19h INVÍSIVEL ( SESSÃO + DEBATE COM DIRETOR)

16 de Dezembro
17h INVÍSIVEL
20h INVÍSIVEL


Sinopse e Ficha Técnica dos Filmes.

NO INTENSO AGORA
Documentário político que justapõe, através de imagens de arquivo, uma série de acontecimentos diferentes da década de 1960, como: a revolta estudantil em Paris, a Primavera de Praga em meio a dominação da União Soviética e a China de 1966 sob o regime de Mao, experienciado pela mãe do diretor na ép? MAIS
Data de lançamento: 9 de novembro de 2017 (Brasil)
Direção: João Moreira Salles
Música composta por: Rodrigo Leão
Roteiro: João Moreira Salles


ALTAS EXPECTATIVAS
Sinopse: Décio (Gigante Leo) é um treinador de cavalos verticalmente desfavorecido. Entre adestrar os animais e controlar o temperamento forte de sua joqueta e melhor amiga Lia (Maria Eduarda Carvalho), ele não tem tempo para muita coisa. Sua vida tem uma reviravolta quando ele conhece Lena (Camila Márdila), uma jovem melancólica que herdou um café no Jockey Clube do Brasil. Para conquistar Lena, Décio vai ter que espantar outros pretendentes, a tristeza da moça e até seus próprios medos.


INVÍSIVEL
Descrição:Ely tem 17 anos e mora no bairro da Boca em Buenos Aires. Ela cursa o último ano do ensino médio e trabalha em um pet shop para completar a renda familiar. Ela descobre que está grávida de Raúl, dono do pet shop, e sua vida colapsa. Enquanto tenta manter sua rotina diária como se nada tivesse acontecido, ela é tomada pelo medo e pela angústia. A sociedade que a pressiona e o estado de saúde frágil da sua mãe a isolam e a obrigam a amadurecer precocemente. Data de lançamento: 9 de novembro de 2017 (Brasil) Direção: Pablo Giorgelli Roteiro: Pablo Giorgelli Indicações: Prêmio Orizzonti de Melhor Ator, MAIS Produção: Ariel Rotter, Juan Pablo Miller

Sobre o Cine Matilha:
O Cine Matilha é um ambiente "pet-friendly" e recebe  constantemente o público com seus pets . O espaço possui 68 lugares, além de 2 lugares para cadeirantes. 
Programação gratuita mediante a doação de 1 kilo de alimento não perecível, roupas, brinquedos, livros e produtos para higiene pessoal para crianças e adultos.

Sobre a Matilha Cultural:
Com oito anos completados em maio de 2016, a Matilha Cultural é uma entidade independente e sem fins lucrativos instalada em um edifício de três andares, localizado no centro de São Paulo. Integra um espaço expositivo, sala multiuso, café, além de um cinema com 68 lugares. Fruto do ideal de um coletivo formado por profissionais de diferentes áreas, a Matilha foi aberta em maio de 2009 e tem como principais objetivos apoiar e divulgar produções culturais e iniciativas socioambientais do Brasil e do mundo.

MATILHA CULTURAL - www.matilhacultural.com.br
Horários de funcionamento: terça-feira a domingo, da 12h às 20h/ exceto sábados: 14h às 20h
Wi-fi grátis. Cartões: VISA (débito/ crédito)
Entrada livre e gratuita, inclusive para cães
--
Informações para a Imprensa
Patrícia Rabello e Andréa Antonacci
Fones: (11) 98196-9290/98276-9622


Aproveite o Natal para ficar mais próximo do Museu mais pop de SP


quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

MIS | Cinema no Museu


Informativo

O MIS recebe neste final de semana vários eventos para quem é fã de cinema! No sábado, tem exibição única de "Meu tio e o Joelho de Porco" e estreia do projeto Um caso de cinema. No domingo, tem sessão de "Metrópolis" com trilha sonora feita ao vivo por Arthur Joly e exibição de "Cidadão Kane" seguida de bate-papo no #CineCiência.

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Programação CINUSP - Mostra Ria, palhaço! (de 4 a 20 de dezembro)

de 4 a 20 de dezembro

O espetáculo vai começar! O CINUSP apresenta a mostra Ria, palhaço!, em parceira com o coletivo CIRCUSP. As atrações incluem debates e filmes brasileiros e internacionais de diversos estilos e épocas, em que o palhaço é representado no circo, na rua ou na estrada.

No documentário Se essa rua fosse minha, os artistas contam sobre suas experiências e os preconceitos que sofrem em seu trabalho. No dia 6, haverá debate com a diretora Júlia Piccolo Von Zeidler e com o palhaço Pixuxu, artista circense de rua.

Chocolat narra a história de um dos primeiros palhaços negros da França. No dia 12, haverá o debate “Palhaço, educação e racismo” após a exibição, com a participação da filósofa e pesquisadora Cida Almeida; o professor e coordenador da Escola de Jovens Artistas do Doutores da Alegria, Heraldo Firmino; e a palhaça e mestranda em Artes Cênicas pela ECA-USP Mariá Guedes.

O brasileiro Deserto traz uma trupe de velhos comediantes no sertão da Paraíba. Palhaços e outros artistas itinerantes também figuram em Noites de circo, de Ingmar Bergman, e no premiado A estrada da vida, de Federico Fellini.

Jonas, de apenas 13 anos, mostra que é possível improvisar um circo no quintal de casa em Jonas e o circo sem lona, de Paula Gomes, vencedor do Prêmio do Público no Festival de Toulouse, na França.

E existe até mesmo filme de palhaço sagrado: Hotxuá é o nome que se dá ao sacerdote do riso designado pelos índios Krahôs para fortalecer e unir o grupo através da alegria.

Apesar das diferenças, o que todo palhaço tem em comum é o riso, deixando de lado suas amarguras na hora do espetáculo para despertar a gargalhada geral. É o que ensinam os palhaços de O palhaço, de Selton Mello, e Ridi, pagliacci!, filme silencioso de 1928. A mostra conta também com obras como Monstros, de Tod Browning, e o clássico Dumbo.

O CINUSP convida o público a rir e se divertir com os filmes da mostra e com as atrações especiais. A programação completa e as sinopses dos filmes podem ser acessadas neste documento e no site do CINUSP

Programação:


04/12 | segunda
16h00  CLICK + NOITES DE CIRCO
19h00  DUMBO

05/12 | terça
16h00  JONAS E O CIRCO SEM LONA
19h00  HOTXUÁ

06/12 | quarta
16h00  A ESTRADA DA VIDA
19h00  SE ESSA RUA FOSSE MINHA + DEBATE

07/12 | quinta
16h00  MONSTROS
19h00  CLICK + NOITES DE CIRCO

08/12 | sexta
16h00  DESERTO
19h00  CLICK + RIDI, PAGLIACCI!

11/12 | segunda
16h00  HOTXUÁ
19h00  MONSTROS

12/12 | terça
16h00  O PALHAÇO
19h00  CHOCOLATE + DEBATE


13/12 | quarta
16h00  DUMBO
19h00  JONAS E O CIRCO SEM LONA

14/12 | quinta
16h00  CLICK + RIDI, PAGLIACCI!
19h00  DESERTO

15/12 | sexta
16h00  A ESTRADA DA VIDA
19h00  O PALHAÇO

18/12 | segunda
16h00  JONAS E O CIRCO SEM LONA
19h00  A ESTRADA DA VIDA

 1912 | terça
16h00  SE ESSA RUA FOSSE MINHA
19h00  CLICK + NOITES DE CIRCO

20/12 | quarta
16h00  CHOCOLATE
19h00  HOTXUÁ
/cidade universitária
r do anfiteatro 181  favo 04
11 3091 3540

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

10 Curtas e Médias Importantes na História do Cinema



Mest Kinematograficheskogo Operatora (1912)
Uma comédia sobre ciúme, vingança e infidelidade entre insetos, metáfora espirituosa para a hipocrisia da sociedade dirigida por Wladyslaw Starewicz, um dos mais criativos mestres pioneiros do stop-motion, quase sempre esquecido, que faz uso generoso de metalinguagem em uma abordagem adulta dos temas. 


Entr'Acte (1924)
Antes de Germaine Durlac abraçar o surrealismo no cinema em “The Seashell and the Clergyman”, René Clair revolucionou a utilização do tema e ousou na montagem provocadora anti-militarista neste clássico dadaísta. O filme nasceu a partir do convite do pintor Francis Picabia e do músico Erik Satie, que queriam um entreato cinematográfico para o balé Relâche. A cada interlúdio da apresentação, o curta era projetado.


Ménilmontant (1926)
Como um romance de Émile Zola, o média-metragem retrata a vida urbana parisiense do começo do século XX. Duas irmãs abandonam a vida no campo e partem para a cidade grande após testemunharem o assassinato dos pais. O diretor Dimitri Kirsanoff consegue realizar uma perfeita fusão entre o impressionismo francês, o surrealismo de vanguarda, a montagem soviética e o melodrama de Hollywood, sem a utilização de intertítulos, opção audaciosa. 


La Coquille et le Clergyman (1928)
A diretora Germaine Dulac esforçou-se para procurar na ação do roteiro de Antonin Artaud os pontos harmônicos, ligando-os entre si por ritmos estudados e compostos. A temática do desejo sexual reprimido em um padre foi bastante corajosa para a época. Vale ressaltar que a obra foi lançada anos antes daquele que viria a ser reconhecido como o grande marco surrealista, “Um Cão Andaluz”, de Buñuel. 


The Life and Death of 9413: a Hollywood Extra (1928)
Este curta dirigido por Robert Florey e Slavko Vorkapich, que bebe generosamente na fonte do expressionismo alemão, conta a história de um homem que vai para Hollywood para se tornar uma estrela, apenas para falhar e ser desumanizado no processo. É impressionante como o conceito e a execução envelheceram bem, não parece um trabalho produzido na década de 20. 


De Naede Faergen (1948)
Um casal tem menos de 45 minutos para atravessar de motocicleta mais de 70 quilômetros. Não sabem que a própria morte fará o mesmo trajeto. Propaganda sobre os perigos da alta velocidade no trânsito dirigida pelo mestre Carl Theodor Dreyer, uma aula de edição que ainda hoje provoca tensão no espectador. O cinema de ação bebeu muito desta fonte. 


Le Sang des Bêtes (1949)
Aviso: Cenas muito fortes de violência animal *
Um dos primeiros exemplos de ultra-realismo, dirigido por Georges Franju, que faria anos depois a obra-prima do terror psicológico: "Os Olhos Sem Rosto". Este filme contrasta a tranquila e bucólica vida na periferia de Paris do pós-guerra com a dura e ensanguentada condição de dentro dos matadouros. É perturbador como poucos, especialmente quando analisado no contexto da época, uma crítica ao silêncio do povo alemão durante o extermínio em massa dos judeus. 


Spiste Horisonter (1950)
Quatro minutos intensos de experimentalismo surrealista, resultado da união criativa entre o diretor Jorgen Roos e o pintor Wilhelm Freddie. Um pesadelo inesquecível e impossível de ser sintetizado, que certamente foi referência para os trabalhos iniciais de David Lynch e David Cronenberg.


A Movie (1958)
Colcha de retalhos experimental em que o diretor Bruce Conner reuniu fragmentos de cenas tiradas de filmes B, arquivos de cinejornais, pornografia leve, entre outras fontes, emoldurados musicalmente por “Pines of Rome”, de Respighi. Crítica irônica à capacidade de o cinema construir mentiras e simplificar tragédias, espetacularizando qualquer tema com objetivos financeiros. 


21-87 (1964)
Trabalho do diretor Arthur Lipsett que inspirou, entre outros, George Lucas, um comentário ácido e pessimista sobre uma sociedade de máquinas, a alienação do homem moderno enfatizada na colagem de cenas que exploram o vazio cultural e o caos do cotidiano.